Internação compulsória

Internação Compulsória – Clínica de Internação Compulsória


 

Internação Compulsória 

 

Internação compulsória é realizada por uma ordem judicial, direcionada por um juiz responsável que determina por meio de um laudo médico a internação de um dependente químico que vive em situações precárias. A internação compulsória pode ser confundida com a internação involuntária, mas abaixo explicaremos a diferença entre ambas. O assunto dividiu diversas opiniões, todavia, foi autorizado legalmente no dia 6 de abril de 2002 pela lei número 10.216. É recorrido a internação quando o dependente químico põe a sua vida em risco e a vida de pessoas que estão a sua volta. O uso de substâncias químicas afeta drasticamente a saúde física e mental, o que pode afetar as tomadas de decisões de um dependente químico.  

Dependência crônica

A dependência crônica em substâncias químicas não tem cura. Contudo, necessita de tratamento, pois quanto mais o dependente aumentar as dosagens, mais a sua situação irá se agravar. Mesmo que não tenha cura, é importante descrevermos que há diversos casos de pessoas que aprenderam a viver em sociedade sem o uso de substâncias químicas. De acordo com especialistas e ex dependentes, a luta será diária e contínua para que o usuário não entre novamente no mundo das drogas. E mesmo que tenha recaídas, busque tratamento quantas vezes forem precisas para que o dependente aprenda a se controlar. Para que a internação compulsória aconteça, é necessário seguir algumas regulamentações, como: 

  • Manter a identidade do dependente químico em sigilo; 
  • O tratamento deve ser como as demais internações, sejam elas a internação voluntária ou involuntária; 
  • Os profissionais devem acompanhar todo o processo de internação, desde médicos, psicólogos, nutricionistas e enfermeiros; 
  • Cumprir com o direito de dignidade e respeito do dependente químico; 
  • Atendimento individualizado com base em suas necessidades; 
  • Comunicação autorizada entre paciente e familiar; 

 

Em quais circunstâncias a internação compulsória é a melhor solução para o dependente químico? 

 

A internação compulsória deve ser recorrida quando um dependente químico comete atos que ponha sua vida e a vida de outras pessoas em risco. Além do mais, comete atitudes inconsequentes para obter as substâncias químicas. Afinal, uma pessoa que faz o uso de narcóticos pode perder tudo o que tem, desde a sua moradia, seus bens, emprego, se isola de amigos e familiares. A partir do momento em que uma pessoa se torna compulsiva a usar substâncias químicas, o adicto vive em torno da droga, nada mais importa.  

O uso de narcóticos pode ajudar para que uma pessoa tenha delírios e alucinações, o que pode tornar sua situação mais delicada que o normal. Problemas psíquicos podem ser desencadeado como esquizofrenia, depressão, ansiedade. Além de sentimentos de medo intenso ou até perseguição. A vida que antes tinha não existe mais, e apenas em uma clínica de reabilitação o adicto aprenderá a viver em sociedade sem o uso de substâncias químicas, o dependente passará pelo processo de ressocialização.  

 

Comportamento de um dependente químico 

 O comportamento de um dependente químico pode ser considerado o mesmo para todos os usuários, profissionais da área da saúde aguardam as mesmas características. Contudo, para cada personalidade uma forma distinta de agir, acompanhe abaixo o comportamento desempenhado por um usuário de drogas: 

Saiba mais

  • Sono desregulado: Sendo o sono excessivo ou insônia, além de trocar o dia pela noite.  
  • Mudança no humor: Se torna irritado, agressivo e nervoso com facilidade. 
  • Isolamento: Se isola da família, amigos e para de frequentar lugares que ia com frequência. 
  • Alimentação desregulada: Sendo a alimentação excessiva, ou a desnutrição. Para cada substância ingerida por um usuário de drogas, um efeito adverso. 
  • Pupila alterada: Quando uma pessoa faz o uso de substância química, a pupila ficará dilatada. 
  • Evita contato direto: Não olha nos olhos, e além do mais, desenvolve um comportamento estranho e instável.  
  • Mentiras: As mentiras são constantes para os familiares, tudo em prol de fazer o uso de substâncias químicas. 
  • Desaparecimento de objetos: Dinheiro, roupas, celulares, tabletes e até alimento são desaparecidos de casa. Os dependentes químicos altamente incontroláveis realizam o ato com o intuito de vender e ter o dinheiro para conseguir substâncias químicas. 
  • Desinteresse: Atividades que antes costumavam ser seu lazer, são deixadas de lado. 
  • Se vitimizar: Colocando a culpa em outra pessoa, e não nele mesmo. 
  • Falta de cuidado: Sua aparência e saúde não importam mais. 
  • Desaparecimento: O adicto fica dias longe de casa, e em determinados casos pode chegar a morar nas ruas. 
  • Crimes: Comete roubos, furtos e dentre outras ações criminosas para conseguir a substância química. 

 

Como é feito e de que forma é realizado a internação compulsória? 

 

O primeiro passo para entrar em processo na internação compulsória é realizando uma solicitação, e o juiz responsável entrará com pedido para realizar um laudo médico. A partir de uma comprovação médica, a internação deve acontecer, seja ela pela vontade do adicto ou não. O Ministério Público pode enfrentar problemas com as vagas solicitadas pelo SUS, pois há uma busca frequentemente entre familiares para esse tipo de internação. O período em que o adicto ficar no local será determinada por uma avaliação médica, e então, a sua saída também deve ser solicitada por uma ordem judicial. O processo de internação compulsória é duradouro e burocrático, onde o adicto poderá ficar irritado. Todavia, a internação é recorrida com o intuito de ajudar o adicto. Após a aprovação acontecer judicialmente, profissionais irão realizar o resgate, onde encontrarão bastante resistência por parte do adicto.  

 

Processo no tratamento da internação compulsória 

 

Apesar de ser uma internação radical e sem o consentimento do dependente químico, o processo de recuperação será o mesmo para os outros tipos de internações. Quando o dependente químico chegar ao local, o primeiro passo é fazer uma avaliação médica para que o seu atendimento seja individualizado e personalizado com base nas suas necessidades. Logo em seguida darão início no processo de desintoxicação das drogas no corpo, onde a alimentação ajudará para o processo e serão usadas medicações para que o adicto contenha sua vontade, até o final da internação as medicações precisarão ser cessadas. E ao final de todo o processo de ressocialização, palestras, atividades físicas e terapias comportamentais serão recorridas. 

 

Diferença entre internação involuntária e internação compulsória 

 

Internação involuntária: Familiares de primeiro grau poderão recorrer ao procedimento sem a autorização do dependente químico. Contudo, os familiares poderão autorizar a saída do adicto quando achar oportuno, e todo o custo é sustentado pela família. 

Internação compulsória: Os familiares podem solicitar o pedido a uma ordem judicial, e com base em laudo médico serão autorizados o processo de resgate. Todo custo é sustentado pelo SUS, todavia, demanda tempo para que a internação aconteça, por ser burocrático. E a saída do dependente químico também deve ser autorizada pelo juiz. 

 

A internação compulsória é eficaz? 

 

Especialistas recomendam outro tipo de internação, sendo ela a internação voluntária. Mas por quê? A internação voluntária é autorizada pelo próprio adicto, sendo realizada uma internação mais saudável e segura. O adicto não deseja viver uma vida carregada de vícios, ele se arrepende de ter feito o uso de drogas. A recuperação está a favor do dependente, pois ele buscará sair do mundo das drogas. Sua mente está voltada para a recuperação, mesmo tendo em mente que será um processo doloroso e difícil. A internação involuntária e internação compulsória de início pode ser difícil para que o adicto entenda, mas o pensamento poderá mudar ao longo da recuperação. 

 

Onde posso encontrar uma clínica de reabilitação para internação compulsória? 

 

Familiares que recorrem a uma internação compulsória, deverão buscar o local adequado para que a internação aconteça. Pesquisar tudo o que for preciso para tratar o problema do dependente químico. Se busca por ajuda, o Grupo Aliança pela Vida pode te ajudar a encontrar um lugar ideal e qualificado para tratar o problema do dependente químico. O Grupo Aliança pela Vida é uma instituição que visa ajudar familiares e adictos a procurarem um lugar com base nas necessidades do dependente químico. Fale com um de nossos consultores! A dependência química é um problema sério que exige tratamento, familiares que recorrem a internação compulsória estão aflitos com a situação atual em que o adicto tem levado a vida.  

 

 

2 thoughts on “Internação Compulsória – Clínica de Internação Compulsória”

Comments are closed.